Pilates em Suspensão

Conheça os 3 grandes benefícios do Pilates Suspenso!

Existem diversos benefícios do Pilates suspenso e o que o treino em suspensão pode trazer:

  • Melhora no equilíbrio
  • Ganho de força e resistência muscular
  • Melhora da postura

E quando juntamos esses três benefícios do Pilates suspenso nós ganhamos outro que é a consequência dos três primeiros. Nosso benefício bônus:

ALÍVIO DAS DORES NAS COSTAS

Dificilmente você conseguirá benefícios individuais com o treino de Pilates suspenso. Ele sempre virá acompanhado de muitos outros juntos, ou seja, se analisar os 3 benefícios citados, perceberá que estão ligados e que o treino trará como um grupo de benefícios.

No método Suspensus trabalhamos e movimentamos todas as regiões de forma integrada, ou seja com apenas um exercício é possível trabalhar e treinar várias capacidades físicas.

Isso é o que chamamos de funcionalidade.

O que mais buscamos hoje em dia é ser funcionais em nossas atividades diárias. Então eu poderia dizer certamente que o maior beneficio do método Suspensus é melhorar a nossa funcionalidade. Ser funcional é essencial hoje em dia.

Uma das coisas que nos tornam mais funcionais é o equilíbrio, então que tal entender melhor o que é o equilíbrio e como funciona o seu mecanismo de ação?

Mecanismos de Ação do Equilíbrio Pilates Suspenso

Diversos mecanismos são responsáveis pelo equilíbrio e a estabilidade, e de maneira geral, o sistema nervoso central, receberá informações da periferia (músculos, tendões, ligamentos e articulações) e estímulos visuais, através dos proprioceptores.

Todas essas informações serão processadas em regiões específicas do SNC, que gerará estímulos motores, acionando a contração de determinados músculos, de forma a permitir que ocorram os ajustes corporais necessários para a realização de determinada tarefa com maior estabilidade.

Temos apenas que ter cuidado para não confundir os atos reflexos (cujo processamento não ocorre não regiões mais “altas” do SNC, e sim, ao nível medular), o qual representa uma resposta quase que instantânea ao estímulo proprioceptivo.

Podemos ter como exemplo, ao pisar em uma pedra fazemos uma torção de tornozelo, tal “distúrbio” distende ligamentos e estruturas que enviarão estímulos sensitivos, o quais serão rapidamente correspondidos por estímulos motores para que o tornozelo se ajuste.

O treino de equilíbrio não se trata apenas de uma questão reflexa, mas sim, de aspectos coordenativos, os quais exigirão o processamento das informações em regiões específicas do SNC, desta forma, exige um maior tempo de exposição.

Este processamento permitirá que estímulos corretos entre músculos estabilizadores e de motores primários executem de maneira mais estável o movimento.

Por que o Pilates Suspenso é tão eficaz no treino de equilíbrio?

Trabalhamos com o principio básico da suspensão, ou seja, o corpo em partes ou por completo em suspensão, utilizando como carga o próprio peso corporal. Utilizando como principio uma base instável para trabalhar força e resistência, além de todos os outros benefícios que já falamos por aqui.

Um treinamento de força por si só, não promove melhorias significativas no equilíbrio quando tal avaliação é realizada através de testes específicos de estabilidade. A estabilidade envolve aspectos coordenativos entre grupos musculares de execução do movimento e dos que estabilizam o corpo para permitir tal tarefa.

Assim, o treinamento de força somente, não é capaz de produzir este efeito desejado para o equilíbrio, e isso, tem sido mostrado em estudos que comparam o treinamento tradicional com o treinamento de força realizado em uma plataforma de instabilidade por exemplo.

Mesmo que se realize o fortalecimento de grupos musculares estabilizadores, a melhoria do equilíbrio envolve aspectos coordenativos, que vão além do treinamento de força tradicional, sendo necessária a utilização de outros meios para atingir este objetivo de forma mais eficaz.

Quando treinamos utilizando a instabilidade, geramos um menor padrão de ativação, produção de força e potência dos grupos musculares motores primários envolvidos, quando comparado ao mesmo exercício feito de forma estável.

Tal fato se deve a preocupação do corpo em buscar a estabilidade durante o exercício desenvolvido em dispositivos de instabilidade, distribuindo o foco da ativação para o os músculos estabilizadores (abdômen, transverso, oblíquos, para vertebrais, multífidos, eretores da espinha, etc.), também conhecidos como CORE.

O CORE é mais acionado nos exercícios realizados em plataformas instáveis do que de forma tradicional, isso tem grande funcionalidade na estabilidade da coluna, e funcionalidade na prevenção de lesões.

Então precisamos falar sobre a postura


Muitos exercícios trabalham o alinhamento corporal e o fortalecimento de musculatura estabilizadora, o que nos faz ter uma melhora significativa em termos de postura. Trabalhando alguns problemas clássicos que encontramos nos estúdios de Pilates, como por exemplo as hiperlordoses, hipercifoses e escolioses.

Ao trabalharmos a melhora da postura no Pilates suspenso estamos novamente falando do CORE e isso nos leva de volta a musculatura estabilizadora, que não só nos gera estabilidade, e melhora o equilíbrio (e com o equilíbrio vem a coordenação motora) como vimos mais acima no texto.

Como também trás um dos maiores benefícios do método: O alivio de dores na coluna que é o ponto X da funcionalidade para muitos alunos/pacientes que vemos nos estúdios de Pilates hoje em dia.

Concluindo…Pilates-Suspenso-4
A atuação do CORE representa sem dúvida nenhuma, é uma das adaptações mais importantes geradas nos exercícios em plataformas de instabilidade, o fortalecimento destas estruturas têm sido correlacionado com a prevenção e a diminuição da dor lombar crônica.

Algo muito interessante disso é que a ação de alguns grupos musculares como os multífidos, oblíquos e eretores da espinha – todos pertencentes ao CORE – já apresentam positivo efeito no tratamento da dor lombar mesmo em percentuais baixos (15 a 30%) da contração voluntária máxima.

Ou seja, não necessariamente precisamos trabalhar com cargas elevadas para obter este efeito, sendo o uso das plataformas de instabilidade um meio eficaz para isso, mesmo não produzindo altos níveis de força e ativação da contração voluntaria máxima quando comparado aos exercícios feitos em estabilidade.

Assim, trabalhando com o Pilates suspenso (utilizando a instabilidade) nós geramos mais estabilidade, e como consequência dessa estabilidade podemos ter diversos outros benefícios, sendo um treino extremamente eficaz para melhora do equilíbrio, postura, estabilidade, forca, resistência, flexibilidade e ainda das famosas dores lombares.

Então “bora” treinar?

 

 

Credito: Blog Pilates

Pilates em Suspensão

Pilates em Suspensão

Pilates em Suspenção